domingo, 9 de agosto de 2015

FELIZ DIAS DOS PAIS !

Pai, palavra que vem do latim(patre) que aparece em qualquer dicionário de língua portuguesa com o significado “aquele que tem um ou mais filhos” , “gerador; genitor; progenitor”, “autor”, “protector, benfeitor”…, e que agora ecoa tremulamente no meu espírito.
O ver pela primeira vez um filho, para quem optou conscientemente em seu um genitor, é sem dúvida uma experiência única, profunda, criadora/possibilitadora de um conjunto de sentimentos e emoções que ofusca quase toda a racionalidade do ser humano. Aqui as palavras encontram grandes limitações e ficam muito aquém do que foi vivido naquele momento..., como certamente qualquer pai já o sentiu.
E o que é ser pai? Esta é talvez a grande interrogação de todos aqueles que passaram por esta experiência e que ainda hoje procuram uma resposta.
Não sei a resposta a esta questão… O que sei é que ser pai será certamente o maior desafio de qualquer ser humano que escolhe estar nesta posição; todos dizem que não há receitas, livros de instruções, manuais que revelem a "arte" de ser pai… mas que a grande aventura não pode ser frutífera sem muito amor, alguma intuição, bom senso e uma boa dose de criatividade (como em tudo na vida, mas agora com um sentido muito especial).
 
Há, com certeza, uma diferença entre o pensar ter um bebé e o cuidar dele, isto é, educá-lo .
Tudo isto e outros importantes acontecimentos que ocorrerão num futuro próximo mostram que ao se tornar pai, esse estatuto não nos confere automaticamente capacidades e conhecimentos necessários que supostamente nesta sociedade ultra-desenvolvida já deveríamos ter.
A responsabilidade de educar uma criança, sem qualquer experiência anterior, é gigantesca e leva-nos por vezes ao medo/receio de fracassar. Contudo, a alegria, a felicidade e o encanto que o dia de amanhã será risonho para estes novos dois seres é superior a toda a incerteza do presente que preenche as mentes de quem é pai.
 
São imensas as inquietações que surgem já e que nos acompanharão durante os próximos dias, meses e mesmo anos, até os nossos filhos se tornarem autónomos…Não há uma Bíblia, respostas e soluções práticas e definitivas para os desafios que se avizinham… O importante é seguramente apostar na sua educação - apesar de nos encontrarmos no Brasil, um país deveras estranho e confuso...  - no seu crescimento e desenvolvimento saudáveis, na realização de relações positivas e espontâneas sem nunca perder de vista as características únicas de cada um.


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário